Casa de Jurema – Um Espaço de Apoio a Grupos de Cultura Popular Brasileira

por  Adriana de Holanda

Partindo da experiência  tanto acadêmica quanto da prática da cultura popular, notadamente das expresões de matriz africana e indígena,  a griô aprendiz/MinC, Adriana de Holanda,  inaugura um espaço de assessoria em elaboração de projetos culturais para grupos e artistas que desenvolvam atividades nestas áreas.

O espçao de  assessoria à elaboração de projetos em cultura popular brasileira está articulado a  ação de sustentabilidade da Casa de Jurema.

Histórico de atuação:
2004 – Junto à FIOCRUZ,  elaborou e coordenou o projeto “Processos de Comunicação em Saúde Pública: Linguagens da Arte e Humanização da Assistência Hospitalar”;

2007 – 2011: Junto a ONG GINGAS,  elaborou  os seguintes projetos:

Casa da Cultura Afro-Brasileira (selecionado pelo edital Ponto de Cultura RJ/MinC – 2009);
Din.Down.Down-Capoeira Especial (selecionado pelo Edital de Lei de Incentivo ICMS -RJ- 2011);
Projeto Griô – Arte e Magia na Tradição da Jurema Pernambucana (Selecionado pelo edital Ação Griô-MinC- ) ;
O Corpo como Brinquedo Cultural (Selecionado pelo edital Pontinho de Cultura/MinC;
Nação Liberdade – Prêmio Tuxauá/MinC;
Capoeira no Museu – apoiado pelo Museu do Ingá;

Além disso, criou e implementou o Programa Escola de Cultura através  da coordenação de pesquisa em cultura e educação em cultura afro-brasileira do GINGAS;

2007 – 2011: Junto a Casa de Jurema, atua na organização das  ações de comunicação e  sustentablidade em cultura, educação e  meio ambiente com foco na  valorização e disseminação da Música e Dança de Tradição Pernambucana.

Para maiores informações escreva para:
adrianadeholanda.cultural@hotmail.com

Anúncios

PONTO DE CULTURA E AÇÃO GRIÔ GINGAS INICIAM CICLO DE ATIVIDADES DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Por Adriana de Holanda (adriana@gingas.org.br)
Iniciando o mês da consciência negra, a Ação Griô do GINGAS e os multiplicadores culturais das oficinas de percussão e capoeira do Ponto de Cultura Casa da Cultura Afro-brasileira/GINGAS realizaram um encontro emocionante entre a educação e a cultura.
Saímos de nossa cidade, carregando em nossos corpos a vontade solidária de fazer cultura, de compartilhar aquilo que nos une, mas do que doar algo que nos foi retirado historicamente: a nossa própria cultura! E assim embarcamos com nossos sons, sonhos, musicalidades “afro-índio-brasileiras”…

Na presença de 100 estudantes da Escola Municipal de Realengo-RJ e do corpo docente, iniciamos nossas histórias “griôs”, nossas andanças, e falamos de nossas tradições, da sabedoria dos mestres da cultura popular de nosso país…

Falamos e ouvimos sobre a geografia musical da ciranda de Lia de Itamaracá e das Baraxós, dos mestres “maracatuzeiros” e “coquistas”, dos mestres da capoeira… Dessa sabedoria plena dos fazedores de cultura, que ainda existe apesar de força que sempre os pretendeu aniquilar!

E resistindo cantamos juntos um afoxé que fala de Zumbi dos Palmares…

 

 

Na presença desses 100 estudantes, nas nossas conversas e experimentações musicais e gestuais, descobrimos que nenhum deles havia ouvido o som do maracatu, do coco ou do afoxé…

 

Descobrimos que a cultura, suas linguagens, sua força histórica encantam sim os nossos estudantes brasileiros, falam da nossa identidade, da nossa memória, assim como nos ensinou Lilian Pacheco e Marcio Caíres do “Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô”, de Lençóis-Bahia.

       

Agradecemos a Profa. Andréia Prestes, que naquele momento mágico, nos diz que a cultura que ali compartilhamos é de extrema importância, pois aqueles alunos não tema cesso a cinema, teatro e a manifestações culturais… Depois da nossa atividades, a professora Andréia, nos relata dias depois da atividade que… “Os alunos adoraram!!! Essa semana enquanto eu preparava uma atividade em sala alguns alunos cantavam as músicas que aprenderam. Foi muito legal.” E compartilha o registro que fizeram da atividade no blog da escola…

“O link do nosso blog é: http://professoresgecnicaragua.blogspot.com/

E quem sabe se a gente, isto é, nós todos fazedores de cultura, educadores, estudantes, lutarmos muito e juntos, poderemos um dia voltar nessa escola, não só pra lembrar que é preciso resistir à força do extermínio cultural de matriz africana, mas para criar redes de aprendizado onde os afetos, os encontros, as histórias de vida, a dança, a música possam ter valor, onde quem nós somos e a nossa história possa ser valorizadas….

Quem sabe um dia a “pedagogia griô” possa ser implementada nas escolas brasileiras…
     

Quem sabe a lei que obriga o ensino de História da áfrica e da História da Cultura Afro-Brasileira possa realmente acontecer como parte efetiva do projeto político-pedagógico das escolas brasileiras e não apenas como projetos especiais, pontuais…

Quem sabe?!

Programa Escola de Cultura baseado na Pedagogia Griô

Por Adriana de Holanda (adriana@gingas.org.br)

“Escola de Cultura” é um programa que nasceu da experiência cotidiana na busca de tecer caminhos entre a educação e a cultura; e também do legado teórico-prático da Rede de Tradição Oral da Pedagogia Griô, originada em Lençóis-Bahia, desenvolvida por Lilian Pacheco e Márcio Caíres no Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô.
Tendo como norte fundamental a construção de serviços, materiais e dispositivos de comunicação comunitária, que através das linguagens da cultura e da arte possam favorecer uma re-qualificação do lugar da cultura, da arte e do espaço escolar na sua relação com o estudante brasileiro.

Esse programa parte de diversas experiências, eventos, oficinas, parcerias, engajamentos, inquietação realizadas juntos aos estudantes e educadores que participaram e se encantaram com as oficinas e vivência da Ação Griô do GINGAS/ MinC e das atividades do Ponto de Cultura GINGAS – Casa da Cultura Afro-brasileira.

O primeiro campo de estágio em cultura e educação formalizado foi com o Curso de Graduação em Psicologia da Faculdade Maria Thereza. Os estagiários, educador-parceiro e griôs do GINGAS vem construindo coletivamente junto com a comunidade encontros entre a Arte, a Cultura e a Psicologia.

Os encontros chamados de “CIRANDA DE HISTÓRIAS E MEMÓRIAS” acontecem todas as terças-feiras, a partir das 15h, na Rua Passo da Pátria 30 casa 03 – São Domingos/Niterói – RJ.

Maiores informações e inscrições:

contato@gingas.org.br; cirandahistoria@yahoo.com.br;

Leia mais em: http://www.gingas.org.br e http://www.grioaprendiz.blogspot.com/

confira o álbum de fotos: https://picasaweb.google.com/117805133483475661434/EscolaDeCulturaPsicologia#

Ponto de Cultura GINGAS dissemina os saberes da cultura afro-brasileira nas universidades públicas

Por Adriana de Holanda

adriana@gingas.org.br

Através das oficinas do Ponto de Cultura “Casa da Cultura Afro-Brasileira” e das vivências da Ação Griô do GINGAS, estudantes de universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro puderam ter acesso e compartilhar dos saberes da cultura afro-brasileira.

Adriana de Holanda (Griô Aprendiz do MinC) e David Bassous (Griô MinC) foram responsáveis pela mediação das atividades no curso de extensão “A África e Suas Várias Vozes no Currículo Escolar”do Núcleo de Estudos de Educação e Diversidade Étnico Racial (NEED) da Faculdade da Prefeitura de Macaé – RJ, curso que é coordenado pela profa. Cristina Marques.

As atividades envolveram a história da capoeira, vivências e cortejo griô com ciranda, coco e maracatu, que foram intermediadas também pelo percussionista Pernambuco Joas Santos. Também foi realizada uma aula expositiva dos princípios e diretrizes da “pedagogia griô”, desenvolvida pelo Ponto de Cultura ONG Grãos de Luz e Griô, que formaram a Rede de Tradição Oral do Ministério da Cultura.

                

As oficinas de percussão, capoeira e mitologias afro-brasileiras também foram realizadas na Universidade Federal Fluminense, no Instituto de Arte e Comunicação Social, em ação cultural comemorativa do Curso de Produção Cultural.

Estas atividades consolidam e reforçam a importância dos saberes e fazeres da cultura afro-brasileira e abriram caminhos para a efetivação do Programa ESCOLA DE CULTURA da ONG GINGAS, que é fruto do trabalho da Coordenação de Pesquisa em Educação e Cultura da instituição.

Confira o Calendário de Oficinas e Eventos do Ponto de Cultura Casa da Cultura Afro-Brasileira/ GINGAS.

Maiores informações, escreva para: contato@gingas.org.br
Acesse: http://www.gingas.org.br/